Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Bichinhos de estimação’

karol_3Seu mundo de brincadeiras era um sem-fim de bonecas e animaizinhos. Desde que se entendia por gente, Karol era apaixonada por bichinhos. Mas como você já conhece a Karol, e sabe que esse post é o terceiro que ilustra suas peripécias, essa paixão obviamente renderá histórias engraçadas e traquinagens inesquecíveis. E você está certo, por isso incentivo a continuação da leitura =)

Boa! Já que você ainda está por aqui, vou contar o primeiro caso da nossa Karol com seus animaizinhos. Certo dia um passarinho entrou pela janela da sua casa, e claro que Karol correu para pegar aquele bichinho lindo que escolheu o seu quarto para pousar. Ele era muito fofo, o passarinho. E doentinho. Mas isso não importava. A Karol o amava, amava tanto, tanto, tanto, que mesmo depois do bichinho morrer (sim, ele morreu…) ela não quis se desfazer dele.

Só que o quartinho da Karol começou a cheirar mal. E a mãe da Karol começou a ficar preocupada. Aliás, preocupada, não. Começou  a ficar meio doidinha. Quem é mãe entende o que é ficar doidinha. Aliás, quem é filho também entende o que é doideira de mãe.

– Que cheiro é esse, minha filha? Pelo amor de Sagrado Cristo!

– Sei não, mãe.

Alguns dias se passaram, e o cheiro piorava. Mas Karol amava o bichinho. Amava tanto, tanto, que não queria se desfazer dele, como você já sabe. Mas sua mãe não sossegou, a doideira dela não a deixaria sossegar. Isso fez com que a mãe da Karol revirasse o quarto da filha. E tanto revirou, revirou, que ali estava ele…

Na casinha da Barbie.

Na caminha da Barbie.

Tinha até lençolzinho por cima.

E a mãe brigou, brigou. E Karol chorou, chorou.

Ah, Karol, a eterna amiga dos bichinhos…

Mas a história não pára por aí. Ainda tem uma segunda parte, pois você já sabe que Karol não é uma menina de uma peripécia só.

Na sua infância, tinha um moço que passava pela rua do bairro gritando que trocava ferro por pintinhos. Um dia, quando os pais da Karol chegaram em casa, encontraram um pintinho passeando pela sala.

– O que é isso, Karol?

– O moço deu.

– Deu como, Karol?

– Deu… Dando, ué!

Mas no dia seguinte, seus pais notaram a falta de uma das cadeiras da casa.

E no outro dia, mais uma cadeira.

Duas cadeiras, dois pintinhos, dois castigos…

E assim seguia a vida da nossa Karol!

Anúncios

Read Full Post »